Numa noite

Cruzei ruas
Muitos passos
Sem pés

Segurava pesos no alto
da cabeça
Se perde o vento
Do medo que entra
nos olhos

Em direção às ondas
do profundo breu
Calmaria espera
E eu à espreita

Indo e ficando

1 comentários:

Guilherme Augusto 11 de agosto de 2009 10:59  

Num dia

Olhei ruas
Muitos carros
Com pressa

Segurava um guarda-chuva
Num belo dia de sol
O vento chega
As folhas se afastam
Como velhos amigos

Em direção ao buraco
Há muitas histórias para contar
O motor esquenta
E eu apenas olho

Ficando e indo...

Seu poema está lindo como sempre, e me deu vontade de fazer esse hehehehehe