Pulsações

Muito de sonho
Faz cair nas nuvens
Muito de chão
Faz enterrar no vão
É por isso que andar no meio
É subir e descer
Ir em direção à luz
Sempre envolto de sombra
Viver intensamente
Morrer constantemente

Parada em meio à ventania
das horas
Barulho mudo
Seguindo a linha reta onde
O destino faz a curva
Me leva sem voltar

Cada passo em frente
Foi o caminho percorrido
Às vezes vou
Talvez evite
Nunca volto
Sempre sigo

2 comentários:

Guilherme Augusto 15 de julho de 2009 17:27  

E continue o seu caminho sem hesitar...
Porém a reflexão é o melhor caminho para não se perder :)

Helô Chaplin 23 de julho de 2009 23:24  

Muito bons todos seus textos,mas esse definitivamente me impressionou mais ^^

A primeira parte faz muito sentido para mim...

Parabéns,Renata ^^