A face de dentro e face de fora da moeda

Mãe... pai... parentes. Professores... colegas... amigos... conhecidos... inimigos. Isso pode tanto se juntar como se separar ou mudar. Ajudar, consolar, está lá, ser útil... Enganos, enganados, erros, acertos, perdas, ganhos, decisões... Tudo coexiste numa mesma forma ou se divide em duas. O eu que está dentro e o eu que está fora se tornaram duas pessoas diferentes. Lá fora o eu se torna escravo dos outros, lá dentro o eu arquiteta um plano de fulga. O que fica do lado de fora se cansa, se revolta... e lá dentro adoece. No fundo, o que estava lá sempre teve razão, sempre soube de tudo. Porém, lá fora sempre haverá uma criança que gosta q chamar atenção e teimosa, ora aprende com o erro, ora persiste no erro.

3 comentários:

John Rômulo 12 de fevereiro de 2009 00:32  

Muito show esse texto! a etrena querra entra "eu" e "mim"
tem uma música da rita lee q diz assim
"Eu e mim se dividem nuna só certeza: alguém dentro de mim é eu do que eu mesma"


www.johnrmulo.blogspot.com

Caio Lopes 25 de fevereiro de 2009 00:04  

Eu nunca sei quando eu to agindo por razão ou por impulso, rs.
É mais ou menos isso aí.
Se alguém consegue controlar razão e a emoção consegue controlar tudo.

Patricia 1 de março de 2009 16:01  

os eus. todos tem os seus.
eu só diria que os dois eus tem que conversar, eles podem ser muito diferentes no agir, mas no fundo não no ser sabe... se não um adoece meeesmo!

:P

beijooooooooooooon