Numa noite de sono


O Sentido viaja para sentidos diversos
Universos abrem as portas de suas casas
De repente, são invadidos
Vândalos quebram, rasgam...
Juntam tudo, ateiam numa fogueira
Que derrete a lógica de cristal colorido por imagens em pedaços
Que não se encaixam mais, como se nunca fossem unidos
Bagunçam o tempo que fora catalogado cuidadosamente em prateleiras
Fazem da memória uma criança:
ora assustam
ora divertem
ora escondem sua irmã mais nova Lembrança
!
Volto para o mundo:
o alarme tocou

1 comentários:

Guilherme Augusto 5 de outubro de 2013 11:50  

Isso me faz pensar que tenho as melhores ideias quando estou sonhando... :) só depois não lembro de muita coisa... rsrs